terça-feira, 19 de janeiro de 2010

SEGUNDA SEMANA

Pois é! Já estamos a mil logo no primeiro mês do ano! Na semana entre os dias 11 e 17 tivemos: - SEXO VERBAL FRAGMENTOS no projeto 4/3as no Teatro Nelson Rodrigues em Guarulhos. Pessoas vendo e revendo o espetáculo, público garantido em plena Terça-Feira! Foi surpreendente a nossa aceitação. Jornais e rádios cobriram, um projeto que tem tudo pra estourar! Somos gratos à prefeitura de Guarulhos por mais este espaço!


- IRA - apresentamos para 73 pessoas o espetáculo que originou nossa linha de pesquisa em plena quarta-feira! Estiveram presentes integrantes do Pequeno Teatro de Torneado, alguns amigos, membros queridos da equipe da FUNARTE (Lia, Roberto Marti, Jerry) e um público bem animado!!! Estamos felizes de prosseguirmos com IRA!!!


- DEBATE QUE AMORES SÃO ESSES com LÚCIO AGRA e VJ PALM. Fascinante! Aproveitamos a deixa pra indicar a Cia Les Commediens Tropicales, que está em cartaz com seu repertório no SESC SANTANA e conta com a colaboração do VJ PALM.

video

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

CONVITES PARA NOSSA PROGRAMAÇÃO

Hj teremos mais uma vez, gratuitamente, o espetáculo IRA, adaptação do livro "Xadrez, Truco e Outras Guerras" de José Roberto Torero.

Será às 21h no TEATRO DE ARENA EUGÊNIO KUSNET.

Já amanhã, dia 14/01, às 21h, ocorrerá no TEATRO DE ARENA EUGÊNIO KUSNET o terceiro debate do projeto Que Amores São Esses?, sob curadoria de Carlos Canhameiro, um estudo iniciado pelo Núcleo Cênico ProjetoBaZar em março de 2009, no Casarão Belvedere. A discussão dessa série de debates são as relações entre teatro, censura e outras linguagens.

Nesse dia 14 de janeiro de 2010 (os debates se estendem - 21 e 28 de janeiro e 4 de fevereiro de 2010) o tema será TEATRO E LINGUAGEM VISUAL com os debatedores RICARDO PALMIERI e LÚCIO AGRA.

Ricardo Palmieri



(crédito da foto: Pan&tone)

Ricardo Palmieri (vj palm) é arquiteto, produtor multimídia e pesquisador de ferramentas livres para produção artística. Desde 1998 vem dialogando com as potencialidades do uso do computador nos processos de produção de sistemas ubíquos.
Iniciou seus trabalhos artísticos junto com o prof. Renato Cohen no grupo Midia Ka, e trabalhou como vj (video jockey) em festas e raves, incluindo participações em encontros como VJBR I no MIS-SP, e paticipações no evento Hypersonica do FILE-SP.
Desde 2003 é usuário e ativista de softwares e hardwares livres em diversas plataformas, e pesquisa produção de multimídia em tempo real (interatividade, livecoding e circuitbending), bem como sistema inteligentes para a geracao de conteudos automatos.
Atualmente é coordenador do IntLab?.cc (media lab em São Paulo) e consultor de mídias interativas customizadas para artistas multimidia e eventos de publicidade. É tambem professor do centro Universitario SENAC no curso de Design de Interfaces e oficineiro de sistemas interativos para nao programadores no LabMIS (Museu da Imagem e do Som de SP).



Lucio José de Sá Leitão Agra

(foto: Currículo Lattes)


Lucio Agra possui graduação em Bacharel mm Letras Português Literaturas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1982), graduação em Licenciatura Em Letras Português Literaturas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1982), mestrado em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1993) e doutorado em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1998). Atualmente é professor do Centro Universitário SENAC no Mestrado em Design (Campus Santo Amaro) e nos cursos de graduação lato sensu em Design Gráfico e Criação de imagem e som em meios eletrônicos (unidade Lapa); professor adjunto da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo na Graduação em Comunicação e Artes do Corpo (habilitação em performance). Tem experiência na área de Comunicação, com ênfase em Semiótica das Artes, atuando principalmente nos seguintes temas: poesia - poética - novas tecnologias, performance - artes do corpo, performance, poesia - poesia eletrônica e digital e performance- arte, tecnologia e vanguardas.


Que Amores São Esses?
“Que amores são esses?” é um projeto realizado no Teatro de Arena, com apoio da Funarte, composto pelo espetáculo “DDP4469”, criado a partir dos vetos de censores sobre a obra Perdoa-me por me Traíres, de Nelson Rodrigues e por debates e workshops sobre o tema.

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

PRIMEIRA SEMANA DE 2010!

Dias 06 e 07 de Janeiro voltamos das férias para ensaios no Teatro de Arena Eugênio Kusnet. Ensaiamos como há tempos não tínhamos tempo para fazer. Literalmente ensaio suado, mas que renderam muito!



Logo no primeiro final de semana dos dias 08, 09 e 10 tivemos um bom público com direito a aplauso em cena aberta (assembléia de artistas) e contando com espectadores do Rio de Janeiro, grupo de Guarulhos e até uma visitante portuguesa, pesquisadora em letras.

O primeiro workshop de dramaturgia também reuniu bastante gente às 10h da manhã do segundo domingo do ano.

Seguimos nossa jornada!

PB em 2010

Iniciamos o ano já com ensaios apresentações e uma agenda cheia de coisas boas!

Vejam nossa agenda (por enquanto)e um EXCELENTE 2010 PARA TODOS!!!

OBS: os eventos que não constam informações do local, serão no TEATRO DE ARENA EUGÊNIO KUSNET pelo projeto "QUE AMORES SÃO ESSES?"

08/01 - Apresentação DDP4469 21h
09/01 - Apresentação DDP4469 21h
10/01 - Bazar Dramaturgia Workshop às 10h
10/01 - Apresentação DDP4469 20h
12/01 - Apresentação SEXO VERBAL - fragmentos às 21h no Teatro Nelson Rodrigues em Guarulhos
13/01 - Apresentação IRA 21h
14/01 - Debate Que Amores São Esses? Tema: Teatro e Linguagem Visual com RICARDO PALMIERI e LÚCIO AGRA
15/01 - Apresentação DDP4469 21h
16/01 - Apresentação DDP4469 21h
17/01 - Bazar Dramaturgia Workshop às 10h
17/01 - Apresentação DDP4469 20h
20/01 - BAZAR DRAMATURGIA CONVIDA com ANA ROXO e LUIS FERNANDO MARQUES às 20h
21/01 - Debate Que Amores São Esses? Tema: O FEITIÇO / TEATRO DE REVISTA
22/01 - Apresentação DDP4469 21h
23/01 - Apresentação DDP4469 21h
24/01 - Bazar Dramaturgia Workshop às 10h
24/01 - Apresentação DDP4469 20h
27/01 - Apresentação IRA 21h
28/01 - Debate Que Amores São Esses? Tema: Arquivo Miroel Silveira com a Professora Doutora Maria Cristina Castilho Costa
29/01 - Apresentação DDP4469 21h
30/01 - Apresentação DDP4469 21h
31/01 - Bazar Dramaturgia Workshop às 10h
31/01 - Apresentação DDP4469 20h
02/02 - Apresentação IRA 21h
04/02 - Debate Que Amores São Esses? Tema: TEATRO OFICINA
05/02 - Apresentação DDP4469 21h
06/02 - Apresentação DDP4469 21h
07/02 - Apresentação DDP4469 20h
09/02 - Apresentação SEXO VERBAL - fragmentos às 21h no Teatro Nelson Rodrigues em Guarulhos

25/03 (quinta) - Apresentação DDP4469 no espaço ACT no FRINGE em CURITIBA às 12h
26/03 (sexta) - Apresentação DDP4469 no espaço ACT no FRINGE em CURITIBA às 15h
27/03 (sábado) - Apresentação DDP4469 no espaço ACT no FRINGE em CURITIBA às 18h
28/03 (domingo) - Apresentação DDP4469 no espaço ACT no FRINGE em CURITIBA às 21h

domingo, 3 de janeiro de 2010

O QUE FIZEMOS EM 2009

JANEIRO - seguimos temporada do espetáculo SEXO VERBAL

FEVEREIRO - seguimos temporada de espetáculo SEXO VERBAL

MARÇO - mês cheio: fomos pela primeira vez ao FRINGE em Cutitiba com o espetáculo MISSA DO GALO/ realizamos a primeira série de debates QUE AMORES SÃO ESSES?/ seguimos temporada do espetáculo SEXO VERBAL

ABRIL - fechamos em 5 meses de temporada do espetáculo SEXO VERBAL

MAIO - participamos do II FORUM CULTURAL da UNESP de PRESIDENTE PRUDENTE com o espetáculo IRA e com a contação de histórias MEU AMIGO JIM que seria a semente do nosso primeiro espetáculo infantil/ apresentações de SEXO VERBAL em Campinas com direito a uma excelente recepção por RIGOLLETO produções

JUNHO - MOSTRA BAZAR EN-CENA no TEATRO COMMUNE com IRA, MISSA DO GALO e o infantil NA ILHA, NA VILA OU NO MAR: NUNCA DEIXE DE VOAR!/ Recebemos o prêmio CIDADANIA EM RESPEITO À DIVERSIDADE pelo projeto SEXO VERBAL

JULHO - Início das pesquisas do projeto "QUE AMORES SÃO ESSES?"

AGOSTO e SETEMBRO - visitas ao ARQUIVO MIROEL SILVEIRA e definições dos processos que dariam base à nova dramaturgia.

OUTUBRO - incrição para o edital da FUNARTE.

NOVEMBRO - fomos selecionados para ocupar o TEATRO DE ARENA EUGÊNIO KUSNET com o projeto QUE AMORES SÃO ESSES?!!!/ Apresentação de SEXO VERBAL - fragmentos no Teatro Nelson Rodrigues em Guarulhos pelo projeto 4/3as/ ESTREAMOS DDP4469.

DEZEMBRO - ocupando o ARENA: DDP4469 / workshop/ debates/ encontro com dramaturgos e...

BOAS FESTAS!!!

CONCLUÍDA PRIMEIRA FASE DO PROJETO "QUE AMORES SÃO ESSES?"

Ao encaminhar o projeto QUE AMORES SÃO ESSES para o edital de ocupação do Teatro de Arena Eugênio Kusnet, nos propusemos a investigar a influência da censura moral na cena paulista nas décadas de 50 e 60, a partir de cinco dos processos de espetáculos contidos no Arquivo Miroel Silveira – pertencente à Biblioteca da ECA - USP: “Perdoa-me por me traíres” de Nelson Rodrigues encenada pela Companhia de Comédia Jayme Costa; “O Feitiço” de Oduvaldo Viana Filho encenada pela Cia de Nydia Licia; “A Serpente” de Gianfrancesco Guarnieri encenada pelo TBC; “O Testamento do Cangaceiro” de Francisco de Assis encenada pelo Teatro de Arena e “O Rei da Vela” de Oswald de Andrade encenada pelo Teatro Oficina.

Ao escolhermos trabalhar com este tema, sabíamos que seria um trabalho de extrema responsabilidade, e somado ao fato de sermos selecionados entre os projetos encaminhados (certamente também merecedores), tal responsabilidade ganha maior proporção.

Somos cientes da importância histórica deste espaço que ocupamos, principalmente à nossa pesquisa, e poder desenvolvê-la no ARENA é muito significativo. A cada dia ocupando este teatro, reafirmamos a importância do apoio que a FUNARTE nos proporciona, e aproveitamos este relato para agradecer a toda a equipe que nos recebeu de forma tão acolhedora.

Vale ressaltar que nossa convivência com a Cia Rodamoinho, com quem dividimos esta ocupação, tem sido enriquecedora. Procuramos desde o primeiro contato manter respeito mútuo e espírito colaborativo, fazendo com que nossos trabalhos caminhassem juntos e em harmonia. Fomos presenteados pelo extremo profissionalismo e carinho da Cia Rodamoinho para conosco.

Nesta primeira fase da ocupação do Teatro de Arena Eugênio Kusnet, pudemos mergulhar em nossa pesquisa a respeito da censura ao teatro paulista por meio da programação que realizamos com apoio da FUNARTE.

Chico de Assis é história viva. Poder saber do próprio autor suas experiências com a censura, sobre o espetáculo O TESTAMENTO DO CANGACEIRO e seus processos de criação dramatúrgica foi verdadeiramente enriquecedor. Como nossa pesquisa gira em torno da censura moral influenciando a cena paulista, ouvir de Chico que seu maior problema nessa época era a igreja, afirma nossas hipóteses. Também Neyde Veneziano e Alberto Guzik, durante os debates QUE AMORES SÃO ESSES, falam dessas questões morais na sociedade paulista e os processo de censura de PERDOA-ME POR ME TRAÍRES e de A SEMENTE reiteram essa afirmação com documentos de escolas católicas e instituições paroquiais solicitando cortes e vetos.

Cabe aqui falar que convidamos o espetáculo “DIAS DE CAMPO BELO”, dramaturgia de William Costa Lima inspirada nas relações masculinas do espetáculo Rasga Coração, por ser também congruente à nossa pesquisa e ao que o edital de ocupação deste teatro propõe. Tivemos, num dia de apresentação desta peça, a oportunidade de conhecer um colega de infância de Vianinha, que nos relatou histórias interessantíssimas.

Tais experiências só são possíveis graças à iniciativa de apoio cultural governamental e também ao histórico local, de tantas realizações e conquistas que se mantém até hoje influenciando nossa geração.

Claro que falar de um tema como a censura e estar num local tão importante gera polêmica... enfrentamos alguns "obstáculos" pelo caminho. Mas os obstáculos foram feitos para serem ultrapassados e é o que estamos fazendo!

Seguimos com nossa pesquisa!

PESSOAS IMPORTANTES

Vamos apenas COMEÇAR a falar de pessoas importantes para o Núcleo Cênico Projeto BaZar.


JULIANNA SANTOS - Está atualmente na equipe de produção do projeto QUE AMORES SÃO ESSES, mas já colaborou como Assessora de Imprensa, captadora de recursos, divulgadora entre outras coisas!



DEBORAH CARLA - nosso setor jurídico rsrs e também nosso apoio moral por muitas vezes (fotografando, filmando, ajudando, estando sempre presente!)


WILTON (mais conhecido como LUDO) - pensa em alguém que faz de um TUDO! é ele!!!


MÁRCIA MARQUES - nossa assessora de imprensa! Amiga, companheira, conselheira, um apoio FUNDAMENTAL ao nosso trabalho!

O NOSSO MUITO OBRIGADO!
Em breve postaremos mais pessoas importantes, pois são muitas!

BAZAR DRAMATURGIA - resultados musicais

DESAFINADO CORO DOS CONTENTES...
Desafinados, fora do tom, mas muito criativos!

Eis as músicas criadas em workshop de dramaturgia:


video
video
video
video

17/12/2009 - GUZIK E NEYDE VENEZIANO

QUE AMORES SÃO ESSES? - debates
Tema: TBC – ARENA
Dia 17/11 às 21h
Convidados: Alberto Guzik e Neyde Veneziano


Neyde Veneziano
Teórica e diretora. Professora de Teatro Brasileiro na Universidade Estadual de Campinas, Unicamp, destaca-se pelos estudos ligados à área, o que inclui sua presença constante em seminários, simpósios, festivais, além de colaborações ensaísticas nas mais importantes revistas e periódicos especializados.

Alberto Guzik
Crítico especializado e Mestre em teatro pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, ECA/USP, ali defende em 1982 a dissertação TBC: Crônica de Um Sonho, devotado trabalho de reconstituição e análise de toda a produção da companhia paulista que revoluciona o teatro brasileiro no decorrer dos anos 1950. Seu trabalho torna-se livro prefaciado por seu companheiro de crítica Sábato Magaldi.


Fotos:
Crédito: Leandro Caldarelli


Neyde Veneziano falando sobre o TBC e o ARENA a partir da origem do teatro brasileiro e da censura.


Alberto Guzik falando sobre o TBC e a montagem de “A Semente” de 1961.

16/12/2009 - IRA

"Após anos nestas terras..." pois é, o bom filho à casa torna. Iniciamos nossos estudos para a montagem do espetáculo IRA em 2001. Em 2005, após muito escrever, adaptar, cortar, com um primeiro elenco com apenas 2 atores e uma atriz realizamos uma apresentação com apenas 9 das 40 cenas o Teatro de Arena Eugênio Kusnet (a convite do Canhoto Laboratório de Artes da Representação). Evill Rebouças também ocupava o teatro nesta época, com um infantil.

Estarmos de volta a esta casa com o resultado completo é um sonho em realização. Aproveitamos a deixa para homenagear um grande amigo Breno Bolan, que nos deixou recentemente, vítima de uma "filhadaputadeumapneumonia" como diriam seus colegas. Então, junto às fotos da peça, colocamos este texto dito por Aurea Karpor antes da apresentação:

"Peço licença pra quem está na platéia hoje, pra dizer algumas palavras.

Há pouco tempo perdemos um grande amigo: Breno Bolan.

Eu tive poucas oportunidades de estar com ele, mas foram suficientes pra entender sua alma de artista. Ele era do rock, da noite, dos refletores. Mas também foi professor. Ele era um entusiasta não só da música, mas um entusiasta do mundo. Se envolvia com paixão em tudo que fazia.



Lembro-me que ele gostava muito de IRA. Nem sei quantas vezes ele assistiu essa peça, mas sei que no dia em que Deus mandou o dilúvio, ele estava lá. Em guarulhos. E depois da peça descobrimos que seu carro, novinho em folha, tinha sido tomado pela água.

Ele sempre carregava filipetas pra divulgar o espetáculo pra nós. Elas boiavam pelo carro. Fui ainda com ele na universidade onde estudou, vender ingressos. Apostava na peça. Apostava em nós.

Faz um tempinho eu o encontrei numa sinuca da Augusta numa madrugada dessas. Prometi a ele que iria no próximo show da Condessa Safira (banda da qual fazia parte). E fui. Pena que neste próximo show ele não pode estar no palco, pois já era o show em seu tributo.



Todos nós que o conhecemos ficamos chocados com sua morte Breno. A gente tenta entender porque as vezes pessoas tão jovens, cheias de planos, perspectivas e bons caminhos vão embora. Mas parafraseando o espetáculo: A FÉ NÃO FAZ PERGUNTAS.

Hj dedicamos a peça não só pra o BRENO, mas para todos aqueles que ficaram sentindo sua falta, e pra todos aqueles que, assim como nós, tiveram a tarefa árdua de superar a dor de perder um amigo tão de repente.

EVOÉ!

15/12/2009 - BAZAR DRAMATURGIA CONVIDA

BAZAR DRAMATURGIA CONVIDA (Encontro)
Curadoria: William Costa Lima


Ao longo dos estudos e atividades do Bazar Dramaturgia, teremos 2 encontros abertos ao público com 2 dramaturgos convidados por encontro. Tais encontros têm como objetivo aproximar os participantes do Bazar Dramaturgia com alguns criadores dessa linguagem, para juntos observarem e discutirem a respeito das atividades do Projeto “Que amores são esses?”. Além de abrir um elo da “Prática do Fazer Dramaturgia”, com o momento que antecede qualquer Fazer Artístico, que é o seu Estudo e Entendimento.


Dia 15/12 às 20h
Convidados: Francisco de Assis e Evill Rebouças


Francisco de Assis Pereira. Autor e ator. Um dos integrantes do Teatro de Arena, atuante dramaturgo representante dos grupos ideológicos, formador de novos autores através de seus prestigiados cursos de dramaturgia.

Evill Rebouças é ator, dramaturgo, diretor teatral e arte-educador. É graduado em artes cênicas pelo Instituto de Artes da Universidade Estadual Paulista – Unesp e tem sua dissertação de mestrado que realizou na mesma instituição, publicada no livro “A dramaturgia e a encenação no espaço não-convencional”, de sua autoria.

Fotos:
Crédito: Mariana Galeno


CHICO DE ASSIS, WILLIAM COSTA LIMA E EVILL REBOUÇAS


CHICO DE ASSIS e WILLIAM COSTA LIMA


CHICO DE ASSIS, WILLIAM COSTA LIMA E EVILL REBOUÇAS

06 e 13/12/2009 - BAZAR DRAMATURGIA

Tivemos os segundo e terceiro encontros do workshop. Deixemos aqui um trecho de texto criado por Paula Klaus Duarte resultado de exercício:

“Porque tanto barulho aqui? Não vejo as feições, me parecem apenas distorcidas sensações. Elas se agruparam meio a todo esse barulho e talvez por isso não as encaro. Como misturar-me aqui?
-
O teu cuidado em contar passos vendou teus olhos, percebe os sons e denuncia serem gritos, será que não pode encarar os sorrisos, os vestidos sem explicação, e imaginar balões de festa? Temo que a festa e tanto barulho permanecem do lado de fora... a imagem distorcida é só falta de jeito pra olhar, agora.
-
É quase um incômodo, uma labirintite que eu inventei por preferir não me misturar, não posso encará-los quando em festa.
-
Fale baixo, eles estão se divertindo e podem notar nossa ausência... consegue ver os balões agora? Estão contidos, inflados de cólera.
-
Quem consegue dançar com um passado inteiro atrás da orelha? Isso me parece puro fingimento.
-
Seios estão mais a mostra que as feições, acho que isso é o que tarja e distorce e confunde... engoli algum pudor, talvez.
Fique quieta, mal posso enxergar até mesmo você, e todo esse barulho aqui”.

10/12/2009 - Que Amores São Esses?

QUE AMORES SÃO ESSES? (debates)
Curadoria – Carlos Canhameiro

Ciclo de debates “Que Amores São Esses?”, um estudo iniciado em março de 2009, no Casarão Belvedere, onde os participantes lidaram com questões a respeito da literatura, sexualidade e teatro. Desta vez os debates tratam das relações entre teatro e censura. Cada dia o tema tratado foca um dos processos citados nesta pesquisa.


Inicialmente havíamos proposto em projeto a realização de cinco debates focando cada processo que nos propusemos a investigar. Tendo em vista uma maior abrangência nos temas em torno dos processos, grupos, autores e estéticas, decidimos aumentar um dia, realizando no total seis debates, divididos nos seguintes temas:

- NELSON RODRIGUES (focando PERDOA-ME POR ME TRAÍRES)
- TBC e ARENA (focando A SEMENTE e O TESTAMENTO DO CANGACEIRO)
- TEATRO E LINGUAGEM VISUAL
- “O FEITIÇO” / TEATRO DE REVISTA (focando O FEITIÇO)
- ARQUIVO MIROEL SILVEIRA E A CENSURA MORAL *
- TEATRO OFICINA (focando O REI DA VELA)

* O debate a respeito do Arquivo Miroel Silveira, que havia sido programado para dia 03 de Dezembro foi transferido para dia 28 de Janeiro devido a problemas de força maior.

Tema: NELSON RODRIGUES
Dia 10/11 às 21h.

Convidados: Roberto Mallet e Maria Laet.

Roberto Mallet é diretor, ator e professor de Interpretação da UNICAMP, e dirige desde 1992, o grupo Tempo. Maria Aparecida Laet possui graduação em História (1985) e em Biblioteconomia (1993), e é mestre em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo (2007). Estuda os seguintes temas: fluxos de informação, gerenciamento de informações, gestão do conhecimento, e censura. Tem experiência na área de Ciência da Informação, com ênfase em Biblioteconomia, atuando principalmente com aquisição e publicações. Possui uma pesquisa de mestrado na USP intitulada: “Arquivo Miroel Silveira: uma leitura dos processos da censura prévia ao teatro sob o prisma do gerenciamento de informações”.

Fotos:
Crédito: Juliana Pacheco


CARLOS CANHAMEIRO - curadoria dos debates


MARIA LAET



Maria Laet explicando o fluxograma de documentos no processo de censura de Perdoa-me por me Traíres (DDP4469 – 1957)


Roberto Mallet falando a respeito de um depoimento de Nelson Rodrigues
sobre sua professora na infância.

ARTES

Como nosso trabalho sempre envolve o apoio de grandes parceiros, não podemos deixar de citar Alexandre Callegares que fez a criação artística para as peças gráficas do nosso projeto. Valeu!


29/11/2009 - BAZAR DRAMATURGIA

Chegamos no primeiro dia do BAZAR DRAMATURGIA (workshop de dramaturgia) que acontecem aos domingos às 10h da manhã. A coordenação é de William Costa Lima(Pequeno Teatro de Torneado) que topou assumir o workshop que originalmente seria ministrado inteiramente por Jhaira (Cia Intuição). Primeiro dia de apresentações e interações, pra nossa surpresa, com 30 participantes.




Foi jogada a semente pra colheita da dramaturgia resultante dos estudos do processo de censura do espetáculo A SEMENTE de Guarnieri. QUE SEJA DOCE!!!

27/11/2009 - ESTRÉIA

Finalmente estreamos! Foi um dia corrido, agitado, como todo dia de estréia. Choramos, rimos, nos divertimos e deu tudo certo no final!

"Noite de estréia, tensão, medo, deslumbramento feitiço e magia! Tudo é uma grande explosão, mas parece que não quando é o segundo dia. Já se disse não foi uma vez, nem três, nem quatro: não há gente como a gente, gente de teatro!"


O elenco ao final do espetáculo... carinhas felizes! Sensação de primeiro passo cumprido!


Equipe se divertindo no coquetel de estréia!


E olha que o coquetel tava bom!!!



Veio nos assistir CARLOS CANHAMEIRO - parceiro e colaborador da Cia Les Commediens Tropicales. Ele é curador dos debates do nosso projeto.


Vieram também ROBERTO MARTI da Funarte, que nos incentiva desde o primeiro momento que fomos selecionados e GRAÇA BERMAN, que vem acompanhando nosso trabalho e com quem almejamos uma futura parceria!